Não pode se deslocar a nenhum escritório?
Encontre um advogado online

O que analisar antes de abrir um processo na Justiça

Antes de entrar com um processo judicial e reivindicar seus direitos, é importante analisar as causas e consequências envolvidas para saber se esta é a decisão mais adequada a ser tomada.

14 SET 2018 · Leitura: min.
O que analisar antes de abrir um processo na Justiça

Quando nos sentimos prejudicados ou estamos diante de uma situação de conflito que precisa ser solucionada e não conseguimos por conta própria, pensamos logo em abrir um processo. No entanto, muitas dúvidas surgem nessa hora, como saber se vale a pena tentar recorrer a nossos direitos ou se tudo não passará de uma perda de tempo.

Mas o que deve ser analisado para tentar identificar se vale a pena abrir um processo na Justiça? O que se deve ter em conta antes de tomar essa decisão? A seguir, vamos esclarecer as principais dúvidas a respeito, explicando um pouco sobre os fatores que você deve analisar.

1) Qual o motivo do processo?

Como o poder judiciário analisa uma grande quantidade de processos, é dada prioridade aos casos mais urgentes. O processo judicial deve ser a última atitude a ser tomada, quando você já tentou de todas as outras formas resolver o problema.

Nos casos que envolvem a área do direito do consumidor, por exemplo, muitas vezes os envolvidos chegam a um acordo sobre a troca do produto ou devolução do dinheiro quando são procurados pela pessoa que está se sentindo lesada.

Nesse tipo de causa, se não conseguir um acordo direto com a outra pessoa, você ainda tem a opção de procurar o Procon antes de entrar com um processo judicial.

shutterstock-162913184.jpg

2) Quais os riscos a serem enfrentados?

Não é possível ter certeza de que ganhará a causa. Caso não a ganhe, além dos gastos com o seu advogado, em alguns casos terá que pagar os honorários advocatícios da parte acusada.

Ao entrar com um processo, esteja ciente do que poderá ou não ser recuperado. Nas causas que envolvem danos ou perdas emocionais, tenha em mente que o que foi perdido não será recuperado. O que você vai receber será uma indenização em dinheiro pelo que passou.

É importante ter esta percepção, pois muitas pessoas que ganham uma causa, continuam se sentindo frustradas, como se não tivesse valido a pena. E, ainda, se você não ganhar o processo, a frustração pode vir em dobro e piorar o seu estado emocional.

3) Procure um profissional especializado

Para que a sua causa tenha a devida atenção e seja encaminhada de forma adequada, sempre contrate um advogado que seja especialista no assunto que será tratado. Tenha sempre em mente que um advogado especializado em direito trabalhista saberá conduzir melhor uma causa de demissão do que um profissional da área do direito do consumidor, por exemplo. Se o seu caso é um divórcio, busque um advogado de direito de família, e assim por diante.

4) Veja se você tem provas suficientes

Talvez o mais importante, ou então o que faz o processo andar com rapidez, é a quantidade de provas que uma pessoa tem ao entrar na Justiça contra alguém ou contra uma empresa. Conseguir provar que você tem razão ao se sentir lesado, ou que sofreu determinado dano, é importante para saber as possibilidades de ganhar a causa.

Atualmente, há diversas formas de se provar um fato. Além da documentação, que já era fundamental em casos como os processos trabalhistas ou de defesa do consumidor, hoje em dia, a Internet também pode servir de prova, com os e-mails trocados pelas partes envolvidas.

Há ainda a possibilidade de apresentar como prova as capturas de tela do celular. Isso vale muito nos casos de alguém estar sendo chantageado ou sofrendo bullying por mensagens, por exemplo. Você ainda pode gravar as chamadas feitas ou recebidas pelo celular, instalando aplicativos próprios para isso.

5) Solicite uma análise prévia das provas

Com todo o material existente, você ainda pode solicitar que o seu advogado faça uma análise prévia antes de entrar com o processo. Isto vai ajudar a saber se as provas são suficientes para criar uma boa base de defesa, ou saber se você precisará de mais material. O profissional ainda vai orientar se no seu caso seria importante apresentar alguém como testemunha, como nas situações de agressão física ou moral.

Se você deseja uma análise mais detalhada do seu caso, clique aqui e encontre um advogado especializado.

Fotos: MundoAdvogados.com.br

Advogados
Linkedin
Escrito por

MundoAdvogados.com.br

Deixe seu comentário
7 Comentários
  • Vitoria Josete

    Vi um anúncio de marketing digital anúnciando um ebook de 1,00 comprei apenas ele dia 2/03 e foi debitado do meu cartão hoje 97,00 não assinei nada com esse valor. Se estivesse bem claro que era automática a compra nem esse ebook eu comprava, agora eu n trabalho e esse dinheiro era pro exame da minha filha . no site só vi a opção de cancelar assinatura e n de reembolso, Nem no meu email chegou nada referente a compra do curso, Eu achei que estava comprando o ebook e não o curso, e nem cliquei nem cliquei em botão nenhum pra assinar o curso

  • Ocinei santos de lima

    Ola.meu nome é ociney santos , e estou com uma causa na justiça , em 2014 fiz um imprestimo no banco colocando minha casa como garantia , nao consegui pagar , entrei na justiça pra entar em acordo , pra nao peder minha casa e pagar a divida .. Quais serao a decisao da justiça isso é motivo pra ir pra justica??

  • Laudicema Damaceno

    É correto uma pessoa processar outra por um fato que nem ao menos a outra procurou para resolver? Para se dirigir ao fórum precisa de um advogado ou a pessoa pode se apresentar sozinha?

  • André Eduardo Amaral Ribeiro

    Em demandas de saúde são desastrosas quando feitas sem um assistente técnico não advogado. É muito interessante consultar um médico ou um dentista quando a demanda tratar-se de erro medico/odontológico. Usar quesitos predisponíveis na internet para uma perícia judicial é uma péssima ideia. Eu já orientei partes e advogados a não distribuírem a ação por total falta de lógica nela. André Eduardo Amaral Ribeiro Perito judicial odontologia

  • Sidicleia Gomes Azevedo

    Eu fui completamente lesada no meu divórcio fazendo acordo com ex marido que ficou com muito mais que eu. Eu fui assinando por sofrer tanta pressão por ele na altura eu fui a lei maria da penha. Ele tinha que ficar não me lembro quantos metros longe de mim. O problema e que isso não acabou eu vivo em outro país e ele continua me agredindo verbalmente. Ontem tive uma crise de pânico mesmo estando longe dele Por ele sempre querer nais e mais dinheiro de mim. Me ameaça dizendo que vai me levar a justiça. Temos 3 filhos em comum ele nunca pagou pensão. Meus filhos não se adptou no país q vivo hoje. E estão com ele a um ano. O que devo fazer? Não suporto mais isso.

  • Rosimeire de oliveira pereira Barbosa

    Oi boa tarde eu fiz um pagamento de um boleto no mês de março más ainda não deram baixa o que devo fazer

  • Maria Helena Oliveira Conceicao Leal

    Tive um contrato com a skay a muitos anos atrás e foi cancelado e os aparelho foi levado. Recentemente recebo ligações constantemente de cobrança de um contrato que não fiz. O que fazer? Quais os documentos necessários para entrar com processo?

últimos artigos sobre dicas sobre advocacia